textos imcomplet.


IV
maio 18, 2010, 8:34 pm
Filed under: nomes

cristiano

perfeito de colete marrom

encontraria quem procurava

calculando a mão no bolso

não dessa vez.

——-

inácio

de negócios

sozinho e cristão

acredita em jesus reencarnado

detesta você.

——-

luciane

pende para esquerda

mas é destra

se perdendo na sessão da tarde sem rir.



julho 20, 2009, 5:23 pm
Filed under: teatros

Me pasó algo muy cómico. Aparentemente sin ningún motivo señale el aire y me dije en voz alta, como una loca, si alguien me estaba espiando pensaría eso: por aquí, por este lugar pasará una mosca en, exactamente, nueve segundos. Si la agarro el mundo comenzará a girar en sentido opuesto. Cerré los ojos, conté hasta nueve y lancé un monotazo al aire. Y atrapé una mosca. Nos es asombroso?

[ulrika em ‘mujeres soñaron caballos’ – daniel veronese]



julho 14, 2009, 1:42 am
Filed under: teatros

ele não planejou a fuga. foi despejado. morava com o pai, a mãe, duas irmãs. foi expulso pela família, cada um com a sua arma. a mãe com um porta-retrato gigante com uma foto de quando ele era pequeno, a mais nova com um chinelinho, a mais velha com um abajur e o pai com um serrote. ele saiu correndo, pulou o portão da frente. só deu tempo de arrumar uma mala que não tinha tudo o que ele precisaria. ele planejou a fuga. fugiu. morava com o pai, a mãe, dois irmãos. quando ele foi embora, cada um estava no seu canto. a mãe arrumando uma caixa com fotos antigas da família, o mais novo saindo do banho, o mais velho lendo e o pai construindo alguma coisa na oficina da casa. ele saiu tranqüilo pelo portão da frente, levando uma mala que tinha tudo o que precisaria.

[relato do homem 2 em ‘medo de morrer longe de ti’]

www.dearaquecia.tk



outubro 23, 2008, 4:24 pm
Filed under: Sem-categoria

Escuta. Nos sonhos, sobretudo durante os pesadelos que provêm dum desarranjo de estômago ou de outra coisa, o homem tem por vezes visões tão belas, cenas da vida real tão complicadas, atravessa a tal sucessão de acontecimentos, de peripécias inesperadas, desde as manifestações mais altas até as menores bagatelas, que, juro-te, o próprio Liev Tolstói não as imaginaria. Entretanto, esses sonhos ocorrem não aos escritores, mas a pessoas comuns: funcionários, jornalistas, popes… Um ministro chegou a confessar-me que suas melhores idéias lhe vinham quando dormia. É o mesmo agora; digo coisas originais, que nunca te vieram ao espíríto, como nos pesadelos, entretanto, não sou senão tua alucinação.

[a alucinação de ivã fiódorovitch – irmãos karamázovi]



julho 28, 2008, 1:37 pm
Filed under: teatros

Olga.
No sos el único hombre que existe. Y no voy a volver. Ni voy a comprarte nada. Y olvidate de mí. Si preferís dejarte influenciar por cualquiera para no creerme, no te necesito. Cómo podés tener el valor de mirarme a la cara y no decirme una palabra. Cretino. Grillos comí. Grillos aplastados en tu memoria. Y por mí podés pudrirte en la cárcel.

[ excerto de ‘los trabajos de olga’ – marcelo bertuccio]



maio 23, 2008, 8:27 pm
Filed under: Sem-categoria | Tags:

xxiv

 

a cabecinha entre as grades da varanda,

como medindo o tamanho da cuca.

 

e inventando um tom de 24° andar

e um gosto de laranja e leite desnatado.



maio 1, 2008, 4:40 pm
Filed under: invisíveis

1. andar de bicicleta de ombros caídos, acompanhado:

 

eunice que não, eunice que não.